Músicas reconfortantes

Ultimamente eu estou muito melancólica. Mas é aquela melancolia boa, sabe? Aquela em que você fica querendo proteção e um chazinho quente. Nesses momentos, eu não preciso de coisas animadas ou felizes. Tudo que eu quero é colocar uma musiquinha leve para ouvir, sentir aquele quentinho no coração e curtir o meu momento de introspecção.

Então, eu resolvi selecionar algumas músicas que me fazem sentir leve, equilibrada, em um calor de um lar. Sempre as escuto, penso que não importa onde eu esteja, sempre vou ter um lugar para voltar, para quem voltar.

1. Lost Boy, Ruth B

A primeira música chama-se Lost Boy, da Ruth B, e eu conheço a pouco tempo. Foi ouvindo esta música que eu tive a ideia para esse post, porque ao ouvi-la, me senti reconfortada e protegida.

A música é, basicamente, sobre se sentir solitária no mundo real e conseguir fugir da realidade através da ficção. Eu acho isso muito reconfortante, apesar de um pouco triste. É bom saber que você sempre terá companhia, é só usar a sua imaginação. Além disso, identifiquei-me muito com a letra, pois fui uma criança muito só, e, por causa disso, me refugiava nos livros. Eles, literalmente, eram os meus melhores amigos.

E, preciso falar do clipe? Uma das coisas mais lindas que eu já vi! Todos esses livros suspensos no ar, a volta no tempo ao final do clipe, essa flutuação representando a fuga (hey, eu não sou pé no chão), tudo isso é muito lindo!

Por último, adoro Peter Pan! ❤

“Run, run, lost boy
They say to me
Away from all of reality”

“As we soared above the town
That never loved me
I realized I finally had a family”

2. Home, AURORA

Eu sei, eu sei. A Aurora é muito deprê. Mas quer saber? Eu gosto bastante. Para falar a verdade, eu adoro coisas depressivas. Elas são tão mais intensas e profundas!

A Aurora eu conheci através de uma amiga. No começo tive uma certa resistência para ouvi-la (não faço a menor ideia do motivo), mas depois me rendi. Ela é maravilhosa!

E, bom, Home é sobre momentos inquietos, aqueles em que você se sente perdido com todo o barulho da cidade, a vida é um barril de pólvora e tudo que você quer é criar uma casca para se proteger de tudo. Mas você não desiste, continua sonhando que tudo dará certo, que a vida será boa, novamente.

“Endless days of complaints
Forcing the light to our veins
Keeping the hope in our minds
One day life will be kind”

“Wrapped inside a cocoon made of flesh and bones
Doesn’t really matter where you come from”

3. Safe & Sound, Taylor Swift feat. The Civil Wars

Eu adoro a voz da Taylor Swift, e nessa música ela me faz sentir arrepios, toda vez.

Safe & Sound faz parte da trilha sonora de The Hunger Games (que por sinal é toda maravilhosa), foi composta pela Taylor e pelo The Civil Wars especialmente para o filme. E ficou maravilhosa!

A música é sobre tentar proteger e tranquilizar alguém que passou, ou está passando, por momentos assustadores e destrutivos, que se sente vulnerável. O lindo é que a música realmente parece uma lullaby e você se sente reconfortável ouvindo-a. Dá pra sentir aquele quentinho no coração.

“I remember tears streaming down your face
When I said, I’ll never let you go
When all those shadows almost killed your light
I remember you said, don’t leave me here alone
But all that’s dead and gone and passed tonight”

“Don’t you dare look out your window
Darling, everything’s on fire
The war outside our door keeps raging on
Hold onto this lullaby
Even when the music’s gone
Gone”

4. Photograph, Ed Sheeran

E, por último, Photograph, de Ed Sheeran. Aaaah! ❤ Eu sempre suspiro com essa música. A ela é a coisa mais fofa que eu já ouvi, sem falar do clipe!

A música é sobre guardar momentos, torná-los eternos, acreditar na possibilidade de reencontros, de voltar para casa, sobre não desistir de quem amamos.

“We keep this love in a photograph
We made these memories for ourselves
Where our eyes are never closing
Hearts were never broken
And time’s forever frozen still”

So, this is it! Espero que tenha gostado. Muitos beijos! ❤

Anúncios

Tell them where’s your hiding place, girl!

tell me wheres your hiding place

Ok, eu estou MUITO envergonhada. Desde que criei esse blog (já faz um tempinho), só fiz uns dois posts, e o último (I’m back) me causa mais vergonha ainda, porque foi um acesso de entusiasmo que eu tive, mas que passou rapidinho.

Pois é, infelizmente, eu tenho esse problema. Normalmente, os meus momentos de entusiamo duram pouquíssimo. Portanto, acabo abandonando muita coisa (não é à toa que esse blog se chama “Armário Sujo”, né?!). Abandono planos e ideias que na hora pareciam incríveis, caderninhos que eram pra servir como meu Bullet Journal, produtos que comprei por impulso, enfim… a lista é longa.

O bom é que volta e meia eu resolvo tirar a poeira de algumas coisas (ou até mesmo resolver se vou jogar no lixo) e acabo me entusiasmando novamente, ou não. Isso me faz crer que ainda tenho esperança nessa vida.

armario narnia

Mas a verdade é que com a faculdade (faço Letras Português), minha mente se mantém ocupada com a minha vida acadêmica. O que gera um problemão, porque às vezes eu preciso de algo para descarregar todo os estresse que eu acumulei, ou algo somente para dar uma relaxada e fugir um pouco.

O negócio é que eu resolvi voltar com esse blog e aprender a ter um pouco mais de disciplina, postar com mais frequência. E os temas serão os mais diversos e aleatórios, embora eu creia que o mais recorrente será… tcham-tcham-raram… LIVROS! Yay! Sou bibliófila, falo de livros sempre que posso e que me permitem. Mas, também adoro falar sobre filmes, séries, músicas, coisinhas que eu conheci por aí… Acho que terá de tudo, né?! Pois é, lá está, estou entusiasmada. Espero que dessa vez esse entusiamo dê bons frutos.

I’m back! (eu acho)

Olá!

Eu acredito que muita coisa aconteceu de maio pra cá. Li um montão de livros, assisti vários filmes legais, comecei Gilmore Girls séries incríveis, me aprofundei em algumas amizades que são realmente muito boas… enfim, aconteceu muita coisa que eu não posso tá falando por aqui.

Agora em dezembro eu estou no finalzinho do 1º período da minha faculdade (Letras Português) e mal estou acreditando. Eu levei quase um ano pra fazer um período na faculdade. Tudo por causa da greve, que durou cinco meses (!!!).

Eu queria muito ter mais interesse em escrever nesse blog. As minhas vontades se baseiam em lapsos de momentos, é tudo muito imprevisível. E eu também queria poder escrever uma publicação não aleatória  como essa. Acho que não é muito aleatória porque eu espero mesmo que esse post seja um “I’M BACK!”.

Estou pretendo escrever mais resenhas sobre os livros que eu estou lendo, filmes que eu vi e achei interessante compartilhar a opinião com alguém (se é que há alguém), e outras coisas também. Não sei bem.

Bom, é isso. O ano está acabando, logo eu espero escrever um post de retrospectiva, então… até a próxima! ❤

Resenha Cabeça Tubarão

Olá, pessoal! Hoje eu vou falar sobre um livro que eu amo muito. Na verdade, ele é o meu livro preferido da vida! ❤

Cabeça Tubarão, de Steven Hall, narra a história de Erick Sanderson, um cara que sofre de uma “doença” rara, que faz com que ele esqueça TUDO da sua vida. Após acordar no chão do seu quarto sem se lembrar de exatamente nada, ele começa a receber cartas dele mesmo, o Erick Sanderson número 1. Atormentado com o fato de não saber quem é, e de, consequentemente, não saber qual o seu lugar no mundo, Erick tenta encontrar uma resposta. Ao procurar freneticamente se baseando nas pistas que Erick Sanderson número 1 deixou, ele descobre que, na verdade, suas lembranças foram devoradas por um tubarão feito de conceitos. Atormento, Erick se empenha em entender a natureza do que aconteceu com ele, adentrando em espaços inimagináveis (ou não-espaços).

Para quem faz Letras, vai ser um prato cheio, porque o livro é cheio de aspectos linguísticos que encantam qualquer um. A linguagem é muito metafórica, e no decorrer da história temos uma espécie de flashbacks que são incríveis.

A editora que publicou Cabeça Tubarão no Brasil foi a Companhia das Letras ( ❤ ). O livro tem pouco menos de 500 páginas (amarelas *-*) e conta com diversas ilustrações bem características.

Eu fiquei impressionada com todas as referências que encontrei em Cabeça Tubarão. É cheio de coisas bem nerds, que acabam dando um ar muito divertido à história.

Neste site, você pode interagir e entrar no clima de Cabeça Tubarão. Parabéns à editora pela ótima e criativa iniciativa.

Uma curiosidade muito interessante é que para cada capítulo do livro existe um negativo, que estão espalhados pelas edições em vários países. Isto é, cada edição conta com um capítulo EXCLUSIVO, e que, supostamente, ajuda a compreender a trama.

Recomendo Cabeça Tubarão para quem gosta de fazer parte da história e o que é muito importante: não se contenta apenas com ela.